Olá freguês!

Inês Ferreira – Bordados em Linho e Costura por medida

Inês Ferreira - bordados de linho e costura por medida

Inês Ferreira – Bordados em Linho e Costura por Medida


Porque o prometido é devido, voltámos a casa do Senhor Soares – desta vez, para conhecer os lavores da sua Inês.
Na grande banca branca, no meio do atelier dela (à parte do dele, cada macaco no seu galho!), divisa-se a rotina daquela mulher franzina que já viu a grande roda das estações girar vezes que chegue para saber com que linhas se cose a vida.

De um lado, junto ao biombo de vime e dos manequins despidos, esperam o fino pano branco e as revistas de noiva – revistas pesadas, mais pelos anseios que carregam do que pelo volume das páginas, dobradas nas pontas, a marcar os sonhos das moças prometidas.

Do outro lado, junto à prateleira dos cones de linhas, os vestidos pretos de cerimónia, que afinal não estavam tão prontos a vestir como prometia a montra da boutique, e na hora do aperto Ó-tia-Inês, Ó-tia-Inês, dê aqui um jeitinho ao meu vestidinho.

Bem arrumadas, ao canto, as linhas de cor com que borda os serões: toalhas; enxovais de baptismo; fraldas e babetes; panos de tabuleiro, lenços de namorados, tapa-jarros e o que mais aprouver à fiel clientela do linho.

O pior é na hora de os deixar ir. É que a Inês não dá ponto sem um nó no coração. Às mãos que lavoram custa-lhes deixar ir o lavor. E às vezes, não há dinheiro que pague esse apego.
"Uma vez até chorei", desabafa.
"Chora muitas vezes!", remenda o marido – afinal, a quem ouve um conto, sempre assiste o direito de acrescentar um ponto.

Começa-se então a desfiar o novelo das memórias: começou a bordar menina. Aos sete ou oito anos, já vendia na escola os seus paninhos bordados. "As mães achavam graça, porque as filhas delas não sabiam bordar". A esses, quem lhos dera agora… Tem ganas de guardar tudo e recuperar o mais que possa. "Se apanho agora um paninho que fiz na altura, dava dinheiro por ele!"

À saída da escola, fez-se aprendiz numa costureira afamada das redondezas. Mas foi em Luanda, onde viveu enquanto o marido cumpria o serviço militar, que entrou no universo da alta-costura e afeiçoou as mãos aos finos brocados. A patroa, que na vaga dos retornados se fixou em Lisboa e montou uma casa de moda para a alta-roda, ainda lhe sugeriu que fosse trabalhar com ela, mas já a vida estava organizada em Galegos. Não se arrepende, mas fica-lhe a mágoa de não ter à porta o movimento da cidade grande.
"Do que eu gosto mesmo é da alta-costura. Só tenho pena de não morar à face da estrada".

Ouviu freguês? Se quer fato aprumado ou enxoval abençoado, é visitar a Dona Inês. Não tem que enganar, é seguir a sinalética, e em caso de dúvida, é só perguntar.

 


Inês Ferreira – Bordados em Linho e Costura por medida

Inês Ferreira – Bordados em Linho e Costura por medida

Inês Ferreira – Bordados em Linho e Costura por medida

Inês Ferreira – Bordados em Linho e Costura por medida

Inês Ferreira – Bordados em Linho e Costura por medida

Inês Ferreira – Bordados em Linho e Costura por medida