Olá freguês!

Dezembro 2012

A Feira de Barcelos, por Mário Cláudio

1 de Dezembro de 2012 Nenhum comentário

Retrato de Mário Cláudio por Carlos Basto

Ocarinas

"Nas manhãs de feira levavam-me de Cabreiros a Barcelos, e a criança que eu era descobria o mistério das ocarinas. Pintadas a azul, a amarelo, ou a vermelho, moldavam-se como a pomba insigne que Picasso não desdenharia. Cabiam por inteiro na concha da minha mão, e o barro de que eram feitas, húmido de saliva, deixava-me na boca aquele sabor a terra que para um menino equivale à maior conquista do Mundo. Quanto ao som que delas eu extraía, quanto a esse, uma vezes cavo, outras estridente, nenhum como ele se mostrava digno da escala dos anjos extravagantes que só em Barcelos moram, e que alguém retratou dotados de seis dedos em cada pé, nos azulejos da Igreja do Senhor da Cruz.
Nunca o homem crescido em que me tornei acharia equiparável maravilha."

 

Mário Cláudio (2007)*
in 'Artesanato e Feiras de Barcelos', Carlos Basto (Figueirinhas 2008)
*Escritor. Retrato por Carlos Basto (ibidem)

A Feira de Barcelos, por Maria do Pilar Figueiredo

1 de Dezembro de 2012 Nenhum comentário

Retrato de Maria do Pilar Figueiredo, por Carlos Basto"Falar de Barcelos é inevitavelmente evocar os barros e os artistas no geral, e de um modo especial é falar de nomes como Rosa Ramalho, Mistério e tantos outros. É evocar também toda a espontaneidade da feira semanal onde, para além da sua grandiosidade, o típico e o insólito se cruzam e as cenas mais inesperadas se oferecem ao olhar do forasteiro, porque é sem dúvida, uma feira diferente, esta feira que se desenrola do nascer ao pôr-do-sol, sob uma floresta de toldos claros a sugerir acampamento beduíno.
(...) Mescla de sons, cores, gestos, palavras, assim é na feira semanal de Barcelos. Dia em que a cidade é sacudida na sua paz, e as ruas se enchem de sons e vida (...). Assim é Barcelos neste turbilhonar de vida que é a sua feira semanal. Feira sobretudo agrícola e artesanal, viva, autêntica.
Assim é Barcelos, à quinta-feira."

 

Maria do Pilar Figueiredo (2007)*
in 'Artesanato e Feiras de Barcelos', Carlos Basto (Figueirinhas 2008)
*Escritora, nascida na freguesia de Cambeses, Barcelos. Retrato por Carlos Basto (ibidem)

A Feira de Barcelos, por José Carlos de Vasconcelos

1 de Dezembro de 2012 Nenhum comentário

Retrato de José Carlos de Vasconcelos, por Carlos Basto"A Feira de Barcelos é ou era o mais belo espectáculo de Portugal. Muitas vezes o disse, entre amigos e camaradas de ofício; muitas vezes, sem êxito, o tentei captar em imagens, armado de máquina fotográfica; e muitas outras vezes ainda pensei fazer, mas nunca fiz, uma reportagem visando dar conta e contar: o colorido, o ritmo, a animação, a variedade, o significado, o lado humano, o caracter profundamente português e popular, da Feira. Porque há poucos lugares e poucos 'eventos', se é que há algum, como este, em que tanto se sinta a presença e o pulsar do nosso Minho, e mesmo do nosso povo. (...) É tudo isto, e mais ainda, que nela me deslumbra. Deslumbra e faz com que, sem falta, pelo menos uma vez por ano, numa quinta-feira de Agosto, eu deixe o sol suave e o «calor fresco» da minha Póvoa para ir derreter à torreira do fim da manhã e do princípio da tarde na linda cidade de à beira Cávado."

José Carlos de Vasconcelos (2007)*
in Artesanato e Feiras de Barcelos, por Carlos Basto (Figueirinhas 2008)
* Jornalista, Escritor e Diretor do Jornal Artes e Letras. Retrato por Carlos Basto (ibidem)