Olá freguês!

Setembro 2013

Cesteiro que faz um cesto, faz um cento...

24 de Setembro de 2013 Nenhum comentário

Clutch de junco, da autoria da artesã Maria do Carmo Lopes


A Mimi, que é Designer de Moda, sentiu o génio criativo pulular quando assistiu à feitura de uma cesta de junco, na oficina da Maria do Carmo.

Nem deu tempo de abrir o computador e fazer a maquete. Foi no ar que desenhou, com gestos excitados, o primeiro dos muitos acessórios que quis levar para o seu closet: “Quero uma clutch a dobrar assim, e a fechar assim, está a ver?”

- “E não quer que faça um desenho?”, perguntou a artesã, que nunca aprendeu os fundamentos do desenho vectorial, mas sabe combinar fibras tingidas, a jeito de compor motivos geométricos na tela de junco.

- “Sim”, respondeu a Mimi, desenhando no ar um imenso coração.


Não foi no dia seguinte que a obra ficou pronta, mas já lá diz o ditado: "Cesteiro que faz um cesto, faz um cento, se lhe derem verga e tempo!"

 

 

 

Posted in: Feira de Barcelos

Com açucar, se faz favor...

20 de Setembro de 2013 Nenhum comentário

Pacotes de Açucar alusivos aos Lenços de Namorados do Minho


A marca Cafés Christina, que já criou tradição nas edições temáticas de pacotes de açúcar, lançou recentemente (por ocasião das Festas da Agonia, mais precisamente) uma nova coleção, agora dedicada aos Lenços de Namorados.
Esta iniciativa resulta de um protocolo assinado recentemente com a ADERE-MINHO,  entidade responsável pela Certificação dos Lenços de Namorados do Minho.


Os Lenços de Namorados são uma peça de artesanato tipicamente minhota, associados ao ritual de conquista e enamoramento por iniciativa da rapariga. A oferta do lenço de linho, bordado com versos de amor da autoria da própria, ao apaixonado, constuía expressa declaração de interesse, esperando-se que ocasionasse a oficialização do romance.

Sim, sim, com açúcar, se faz favor!



"O ganho e a lazeira andam de feira em feira" *

19 de Setembro de 2013 Nenhum comentário

Esta manhã ouvimos, na TSF, o prazeroso relato do jornalista Fernando Alves, que nos últimos dias tem percorrido, com o camarada de ofício Artur Carvalho, as feiras de Vieira do Minho, Amares e Póvoa de Lanhoso, fazendo a cobertura da Campanha das Autárquicas. Pois já se sabe: “as feiras são a perdição dos candidatos.”


Mas não foi pelas lides da campanha que se nos dilataram as pupilas. Foi, isso sim, pela forma entusiástica como descreveu o bom que é andar pelas feiras (mesmo em época de Campanha!), furar a multidão que se acumula entre o acampamento de tendas e o gozo que é desfilar ao som dos pregões e provocações com que feirantes seduzem transeuntes, qual canto de sereias.

Aliás, foi em resposta à provocação de uma vendedora de figos, que o confundiu com um candidato (afinal, por que outro motivo andaria este homem de feira em feira?), que Fernando Alves assim discorreu, para nosso contentamento:
“O mundo das feiras tem este lado feérico, ruidoso. A comunidade em mangas de camisa; encontros felizes; olhares límpidos. Todos se conhecem, todos se saúdam. Mas há também o lado sombrio, que não se percebe a um primeiro olhar. (...) A fruta da época por vezes tem bicho, como a política.”

 

Este relato-maravilha está disponível em podcast, aqui.



* "O ganho e a lazeira andam de feira em feira" - Provérbio Popular


Posted in: Feira de Barcelos Tags: feiras