Olá freguês!

Agosto 2014

Joaquim Esteves: "Gosto de arte, mas não gosto de artistas"

19 de Agosto de 2014 Nenhum comentário

Joaquim Esteves, artesão caricaturista


Joaquim Esteves
é um artesão barcelense e não renega a sua condição. Mas até o observador menos avisado notará no seu trabalho uma ruptura em relação à linguagem estética que caracteriza a generalidade dos artesãos barcelenses.


Com as devidas distinções e marcas pessoais, o que sobressai no artesanato de Barcelos é uma identidade colectiva, com enraizamento no folclore regional, e que transparece nas temáticas, nas formas e nas cores. Nas peças de Joaquim Esteves é outro o discurso – um discurso crítico, mordaz, imune a filtros ou conveniências sociais:


"Uma vez fiz uma exposição e tinha uma peça que era "o embrião do artista". A minha peça era um poio. Isto é a minha definição do artista. O artista, no fundo, é um monte de merda."


São palavras proferidas em discurso directo neste documentário, da autoria de Marco Vale,
que é, a nosso ver, uma boa introdução ao artesão e à sua postura pessoal e artística. Parece não haver margem para meios-termos: ou se ama ou se detesta!

[Recortes] "O novo ar da tradição"

17 de Agosto de 2014 Nenhum comentário

Triagem do junco.  ©Tilo Wagner/DW©Tilo Wagner/DW

Em Maio último, o repórter Tilo Wagner, da publicação alemã DW – Deutsch Welle, visitou a freguesia da Castanheira, onde historicamente se concentra a actividade de esteiraria em junco, em Portugal.

Nas oficinas improvisadas das velhas esteireiras, o repórter notou o declínio desta arte, que se justifica pela dureza do trabalho e, consequentemente, pela não renovação de uma geração de artesãos capazes de o executar,  mas assinalou também indícios animadores de um certo rejuvenescimento da tradição.

O seu testemunho fica registado num artigo intitulado “O novo ar da tradição” (The new look of tradition, no original).