Olá freguês!

De Espanha também vêm bons pensamentos! Dicas para utilizar andorinhas em projectos de decoração.

De Espanha nem sempre vêm bons ventos, já se sabe, mas às vezes vêm bons pensamentos.

É o caso destas dicas de decoração, da dupla madrilena de arquitectura de interiores RdeRoom, num artigo dedicado à utilização das nossas andorinhas de cerâmica.


Como usar? De que forma? Em que zonas da casa?


Respostas a todas estas perguntas nas linhas que seguem, em que arriscamos uma tradução do artigo redigido por esta supla de especialistas "As andorinhas pretas estão na Moda!" (Las golondrinas negras de la moda, no original).

 

 Aandorinhas vidradas

 

 

As andorinhas pretas de cerâmica são um clássico da decoração popular dos anos 50. Em meados do século passado, era muito habitual encontrá-las nos lares de Portugal e Espanha, alegrando fachadas, pátios e interiores. Supomos que se tratava de uma recriação do mito popular que augurava boa sorte às casas em cujos telhados as andorinhas nidificavam.


Com o já mais que instalado gosto pelo vintage, ressurge o interesse pelas andorinhas. As revistas de moda e decoração testemunham esta tendência, ilustrando várias aplicações possíveis, na casa, nas roupas e na própria pele! Desde as sweats de Alexander McQueen, até às tatoos temporárias da Chanel, passando pela versão artesanal das andorinhas de cerâmica – sem dúvida, uma das nossas favoritas.


Se se sente com ânimo para encher a casa de andorinhas, deixamos algumas dicas:


- existem vários modelos, desde o molde original do artista português Bordallo Pinheiro, mais elaborado, ao modelo mais estilizado que se instalou no nosso país. Nós apreciamos particularmente a versão lisa; têm um apontamento mais moderno que permite uma melhor integração nos lares contemporâneos.


- as andorinhas não vivem sozinhas e nas nossas casas também não devem surgir como objectos únicos. O que fica realmente bem são composições com grupos de várias peças, preferencialmente de diferentes tamanhos. Se o espaço é pequeno, com três já podemos conseguir composições interessantes, ainda que o ideal para conseguir o efeito de bando seja acrescentar mais algumas. A partir daí, quanto maior for o espaço, maiores são as possibilidades de conseguir um efeito interessante.


- não as coloque equidistantes nem em fila. O ideal é que seja algo orgânico, o mais parecido possível com as formas de um bando de verdade.


- Onde colocá-las? Há imensas possibilidades: no vestíbulo, sobre a cabeceira da cama, à volta de um espelho, sobre um aparador, ou acompanhando a curva das escadas.


- Não se limite às paredes. Se tem um número razoável de peças, deixe-as voar também pelo tecto.



Guardar

Guardar

Partilhe com os seus amigos
Deixe um comentário Comments feed
Nenhum comentário