Olá freguês!

Posts tagged 'Artesanato de Barcelos'

RTP disponibiliza reportagem de 1968 com Rosa Ramalho

8 de Março de 2017 Nenhum comentário

A RTP acaba de disponibilizar online um arquivo com mais de 6000 peças produzidas para rádio e televisão desde 1936.


Dos milhares de bons motivos por que vale a pena perder-se a navegar por este acervo, destacamos um que nos é particularmente querido: é uma reportagem de 1968 com a ceramista Rosa Ramalho, já então com 80 anos (viria a falecer em 1977) – uma personalidade de “sensibilidade inquieta”, como faz notar o repórter, e que é ainda hoje considerada um vulto maior da arte popular portuguesa e do figurado de Barcelos, em particular.

Heaven, Hell and Somewhere In Between: Portuguese Popular Art*

19 de Setembro de 2015 Nenhum comentário

'Virtudes' da artesã barcelense Júlia Ramalho


*Céu, Inferno e algures entre os dois: a arte popular portuguesa é o nome da exposição que o Museu de Antropologia da Universidade da Colúmbia Britânica (MOA), no Canadá, tem patente até ao dia 12 de Outubro de 2015.

O artesanato de Barcelos está muito bem representado nesta mostra, que reúne cerca de 300 trabalhos de artistas e artesãos portugueses.

A Virgem Maria de Laurinda Pias, as Virtudes de Júlia Ramalho e os Diabos de Nelson Oliveira são algumas das peças que inspiraram a temática da exposição, assente na dualidade sagrado e o profano, sempre presente no figurado de Barcelos.

De Espanha também vêm bons pensamentos! Dicas para utilizar andorinhas em projectos de decoração.

13 de Junho de 2015 Nenhum comentário

Andorinhas de cerâmica pretas e brancas


De Espanha nem sempre vêm bons ventos, já se sabe, mas às vezes vêm bons pensamentos.

É o caso destas dicas de decoração, da dupla madrilena RdeRoom, especializada em arquitectura de interiores, que se rendeu aos encantos das nossas andorinhas de cerâmica e lhes dedicou um artigo.


Como usar? De que forma? Em que zonas da casa?


Respostas a todas estas perguntas nas linhas que seguem, em que arriscamos uma tradução do artigo redigido por esta dupla de especialistas "As andorinhas pretas estão na Moda!" (Las golondrinas negras de la moda, no original).

Guardar

Guardar

O New York Times também veio à feira de Barcelos

23 de Abril de 2014 Nenhum comentário

Louça de barro na feira de Barcelos


Há trinta anos, o repórter Lonnie Schlein, do New York Times visitou Barcelos e deixou-se encantar pela feira semanal.
Muita coisa mudou desde então – se cá voltasse agora, já não diria que era o único turista ali a cirandar, por exemplo – mas na sua essência, na sua cor e diversidade, a feira de Barcelos continua igualzinha a si mesma.


O relato desta viagem, sob o título Buying crafts under the trees of Barcelos, pode ser lido na versão original, disponível online, ou na modesta tradução que nos atrevemos a fazer.


Do muito escreveu, o essencial ficou dito em poucas linhas:

“(…) A cidade de Barcelos é sobretudo conhecida pela olaria, pela arte popular e pelos artesanatos, que podem ser encontrados no seu famoso mercado.

O dia para visitar Barcelos é a quinta-feira, pois é nesse dia que o Campo da Feira se converte num impressionante mercado. (…) Desde a madrugada até ao meio da tarde, os feirantes vendem mercadorias diversas, que vão desde os atoalhados de renda bordados à mão, aos cestos e aos vasos de bronze e de cobre. Também há artigos de cozinha feitos de madeira, tapetes e colchas trabalhadas à mão, olaria, chapéus de palha e mantas de farrapos. Pode-se equipar uma casa inteira com artigos comprados na feira, do mobiliário ao recheio da despensa. A seleção é muito vasta e os preços bem razoáveis. (...)”


Nascidos entre linhos e linhas

12 de Abril de 2014 Nenhum comentário

Ermelinda Rodrigues: bordado de crivo


Se quisessemos, a pretexto da história que vamos narrar, forjar um ditado popular, diríamos que quem nasce entre linhos e linhas, pela certa sabe bordar.


Assim foi com Maria Ermelinda, uma autoridade em matéria de bordados, e em particular no Bordado de Crivo, o bordado tradicional da freguesia de Carreira; e foi também o caso dos seus filhos.


Com três anos – com três anos apenas! – já a Elisabete tecia (“tecer” é uma das quatro fases de execução do Bordado de Crivo). Quem o conta é a mãe, com um misto de vaidade e emoção. E não fossemos nós duvidar da proeza, lá vai revolver os álbuns, à procura da fotografia em que a pequena Elisabete, então com cerca de 3 anos, se apresenta no palco da Mostra de Artesanato de Barcelos, a tecer, a par de outras (não tão) jovens revelações.


Hoje, apenas a filha Elisabete se dedica profissionalmente aos lavores em linho, mas todos os filhos de Ermelinda aprenderam a manejar as agulhas.

Chapéus, houve muitos, em Cambeses

6 de Abril de 2014 Nenhum comentário

Brasão da freguesia de Cambeses, onde os tradicionais chapéus de palha estão ainda inscritos

De um artigo do Barcelos Popular, datado de 2006, aprendemos que chapéus, houve-os muitos, em Cambeses.

Sendo uma tarefa quase exclusiva das mulheres, a confeção de chapéus de palha de centeio parece ter sido parte fundamental do sustento das famílias da freguesia.


À data em que o artigo foi publicado, havia ainda quem os fizesse e a preocupação então expressa era a viabilidade futura da tradição.


Foi com essa expectativa que nos fizemos ao caminho.
Mas a experiência foi um desolo: do artesanato típico de Cambeses já só resta o brasão da freguesia, onde o chapéu de copa alta e aba larga foi inscrito, como que a fazer jus à memória daquelas mães.


Os transeuntes, apanhados de surpresa e claramente desabituados da pergunta, iam dizendo que não, que não sabiam, que não, que não conheciam; entre os mais velhos, sempre encontrámos quem recordasse uma ou outra chapeleira na família. “Mas agora…”.


De porta em porta, os relatos sucediam-se, sempre no pretérito perfeito.
Ouvimos repetida, até, a história de gente já falecida a quem são ainda endereçados convites para participar em mostras de artesanato.


Na junta de freguesia informaram-nos, por fim, que na rua do Monte existe ainda uma senhora, na casa dos oitenta, que criou os filhos com o sustento dos chapéus. Deram-nos as indicações para lá chegarmos e uma recomendação para não levarmos ilusões.


Sem ilusões, lá fomos.
Recebeu-nos recolhida na cama. Também ela recebera há dias um convite para expor. Mas não vai. 
“Como é que eu ia, nestas condições?”.

Artesanato e Feiras de Barcelos, por Carlos Basto

2 de Março de 2014 Nenhum comentário


"Artesanato e Feiras de Barcelos"
é um colectânea de obras, da autoria do artista plástico barcelense Carlos Basto, produzidas em diversos momentos da sua vida e com recurso a diferentes técnicas, sobre as temáticas do artesanato e das feiras de Barcelos.


Além da reprodução de várias dezenas de pinturas temáticas, este livro reúne ainda uma série de testemunhos de destacadas individualidades do meio literário português, como Maria do Pilar Figueiredo, Mário Cláudio, José Carlos de Vasconcelos e Manuel António Pina, entre outros, que relatam, na primeira pessoa, as suas próprias memórias da feira de Barcelos.


Título: Artesanato e Feiras de Barcelos
Autor: Carlos Basto      
Edição/reimpressão: 2008
Páginas: 106
Editor: Figueirinhas
ISBN: 9789726612124

 

Barcelos canta de galo na FITUR 2014

27 de Janeiro de 2014 Nenhum comentário

Galo de Barcelos na FITUR 2014© Imagem: Câmara Municipal de Barcelos


Este ano, pela primeira vez, o concelho de Barcelos fez-se representar individualmente na FITUR, a maior feira internacional de turismo. Na edição 2014, que se realizou de 22 a 26 Janeiro, em Madrid, o artesanato e, em particular, o figurado de Barcelos esteve representado pelas obras de alguns dos artesãos mais creditados da nossa praça – como a veterana Júlia Côta, a família Baraça, Conceição Sapateiro ou João Ferreira.


A oferta inesperada de um Galo de Barcelos aos Príncipes das Astúrias, logo no dia da inauguração, fez disparar os flashes e pôs a Capital do Artesanato nas bocas de nuestros hermanos.

 

31ª Mostra de Artesanato e Cerâmica de Barcelos

2 de Agosto de 2013 Nenhum comentário