Olá freguês!

Vilar de Mouros: literatura para festivaleiros (e não só!)

25 de Agosto de 2016 Deixe um comentário Ver comentários

Vilar de Mouros não é conhecida apenas pelo Festival. A vila e a fábrica de louça que nela se fundou no século XIX, integram o roteiro de estudo da faiança portuguesa.


Da história da "única fábrica de louça branca de todo o distrito [de Viana do Castelo]", meritosamente reconstituída nesta obra este ano publicada pelo CIRV (Centro de Instrução e Recreio Vilarmourense) e pela Câmara Municipal de Caminha, permitimo-nos reproduzir a seguinte passagem, que bem ilustra a dimensão humana do trabalho artesanal:


«Por volta de 1867, a Fábrica de Louça de Vilar de Mouros retomara a produção, sob a direção de José Manuel da Cruz e tendo como provável mestre Tomás de Sousa da Rocha, identificando-se ambos, em diversos documentos, ora como 'artistas de louça', ora como 'fabricantes de louça'. Trabalhariam em conjunto na roda, rodeados de outros operários, e essa cumplicidade evidenciava-se até nas suas vidas privadas, aparecendo Tomás da Rocha como testemunha do casamento de José Manuel da Cruz (...)» (p. 22)

 

E se nesta passagem revemos o melhor que há nas relações humanas, também por aqui encontramos o reverso da medalha. - um relato de 1855 que não se afigura tão distante dos costumes laborais deste século XXI:


«(...) que os ditos outorgantes (...) ficam isentos de darem trabalho algum braçal para a mesma fábrica e apenas ficam obrigados, ele marido, unicamente a ir ajudar a desenformar a mesma louça, sendo-lhe para isso participado pelos outros outorgantes que são os que têm de trabalhar no fabrico da mesma louça (...), além dos mais operários precisos a quem se pagará de fora à parte o menos que puder ser.»
(Reprodução de trecho da escritura de constituição da sociedade que deu origem à fábrica, em 28 de Mao de 1855. Págs 19-20).

 

A Fábrica de Louça de Vilar de Mouros

Capa do livro "A Fábrica de Louça de Vilar de Mouros (CIRV e Câmara Municipal de Caminha, 2016).
Créditos da imagem: goo.gl/nc3Y9f


*
A Fábrica de Louça de Vilar de Mouros

Autores: Paulo Torres Bento, Joaquim Aldeia Gonçalve, Plácido Ranha Silva Couto, Basílio Barrocas e Patrícia Moscoso
Editor: CIRV (Centro de Instrução e Recreio Vilarmourense) e Câmara Municipal de Caminha,
2016

Partilhe com os seus amigos
Deixe um comentário Comments feed
Nenhum comentário