Olá freguês!

A feira semanal de Barcelos

Tenda de artesanato na feira de Barcelos

“A Feira de Barcelos é ou era o mais belo espectáculo de Portugal. (...) Porque há poucos lugares e poucos 'eventos', se é que há algum, como este, em que tanto se sinta a presença e o pulsar do nosso Minho, e mesmo do nosso povo”.
José Carlos de Vasconcelos (Jornalista e Escritor)
in 'Artesanato e Feiras de Barcelos', Carlos Basto (Figueirinhas, 2008) 

"Falar de Barcelos é (...) evocar toda a espontaneidade da feira semanal onde, para além da sua grandiosidade, o típico e o insólito se cruzam e as cenas mais inesperadas se oferecem ao olhar do forasteiro, porque é sem dúvida, uma feira diferente (...). Feira sobretudo agrícola e artesanal, viva, autêntica. Assim é Barcelos, à quinta-feira."
Maria do Pilar Figueiredo (Escritora)
in 'Artesanato e Feiras de Barcelos', Carlos Basto (Figueirinhas, 2008)

 

Quando se visita uma nova cidade, é mandatório visitar o mercado local, que tudo diz sobre aquela terra, as suas gentes, os seus ofícios e vícios. Assim é também em Barcelos.

Na terra que reclama para si o título de Capital do Artesanato, a feira semanal é o acontecimento que pauta o ritmo da cidade. Todas as quintas, desfila, na maior praça da cidade, toda a diversidade de artes e ofícios populares, desde a olaria, os bordados, a tecelagem e a cestaria, à talha da madeira e à forja do ferro.

É também lá que se escoa o produto das pequenas hortas das redondezas. Aliás, é pela frescura das hortaliças e pela genuidade dos ovos caseiros que as donas de casa mais avisadas acorrem ao campo da feira, às quintas, cedo, bem cedinho, quase à hora que o galo canta.

E é por tudo isto e por mais umas quantas coisas que escapam à compreensão, que a Feira de Barcelos é um dos principais factores de atração turística do concelho e inspiração para poetas, escritores e artistas. Sobre ela já escreveram José Carlos de Vasconcelos, Maria do Pilar Figueiredo e Mário Cláudio, entre outros. E é também à feira que tantas vezes tem retornado o olhar fotográfico do pintor Carlos Basto, que verte depois em aguarela.

Sobre o Campo da Feira de Barcelos, fica também esta curiosidade: esta praça foi classificado pelo IGESPAR como um Monumento de Interesse Público, muito graças a esse acontecimento semanal que, assim reza o documento, “movimenta e imprime caracter à cidade e que pode ele próprio ser considerado monumento”.

 

Para quem gosta de datas, foros e promulgações régias, recomenda-se a leitura deste artigo.