Olá freguês!

Manuel Campos – Fatos, Togas e Becas por medida

Alfaiataria por medida

Foi à conta de um chapéu com particulares feições que fomos dar com o senhor Manuel Campos. Havia um pedido a satisfazer e ninguém por estes lados que o pudesse executar. O anúncio de um alfaiate de alta-costura, especializado em fatos, togas e becas por medida levou-nos até Nine, onde tem casa aberta há décadas e onde o trabalho ainda lhe enche as medidas, apesar de este ser um ofício em declínio. É certo que as cadeias de pronto-a-vestir transformaram o registo de trabalho dos velhos alfaiates, mas nãotiraram lugar aos profissionais mais bem preparados, como é o caso deste nosso mestre, formado na Escola Técnica de Corte para Alfaiates e Camiseiros, em Lisboa, em 1976.

Foi ali, na afamada Academia de Corte Maguidal, que consolidou o saber-fazer que já levava na bagagem, ele que desde petiz ajudava na oficina de alfaiate do pai. Aprimorou a técnica de corte – que é do talhar que vai o bem trajar! – e aprendeu coisas novas, regras de conveniência e protocolo que ao pai não aprouve ensinar:
“À senhora tira-se as medidas sentada, nunca de pé!”

Da parede do atelier retira o certificado emoldurado e trá-lo até nós, para que possamos ler com os próprios olhos o seu nome ali escrito, sob a assinatura do fundador e director da escola, Manuel Guilherme de Almeida, autor do patenteado método de corte Maguidal. Tinha então 26 anos, tinha acabado de regressar do Ultramar, era o momento de tomar um rumo na vida. Foi o pai quem providenciou o seu ingresso na mais reputada escola de corte do país, também frequentada pelo irmão mais velho, hoje estabelecido na freguesia de Mouquim, não muito distante dali. “Tínhamos a técnica do meu pai, faltava-nos a certeza do corte”.

Entusiasmado pelo desfiar de memórias, procura debaixo da mesa de corte a sebenta dos seus tempos de pupilo, de que ainda se socorre quando a dúvida o assalta – episódio pouco frequente num profissional com mais de 40 anos de experiência.
Das folhas amarelecidas pelo tempo e pelo uso emergem complexos cálculos e elaborados esquemas geométricos, riscados pela sua própria mão. Os conteúdos, organizados por temáticas, evidenciam a organização, o método e o génio do mestre homónimo, Manuel Guilherme de Almeida, que vestiu as figuras mais ilustres da nação e criou os principais trajes académicos do país.

À medida que folheia, com nítida nostalgia, as páginas da velha sebenta, Manuel Campos vai descodificando a informação ali sintetizada em números e riscos: “Isto aqui é como alinhar o xadrez nos encaixes". 
Do manequim mais próximo retira um blazer de senhor ainda em confeção e mostra as palas dos bolsos e os punhos. “Está a ver como o xadrez fica alinhado? É assim que tem de ser!”

Vira a página.
Aqui são as calças de senhor.” Pousa a sebenta e compõe as suas próprias calças, em jeito de demonstração: “É assim que o vinco tem de cair sobre o pé. Às vezes vêem-se calças assim e assim (retorce o vinco), mas não, é assim que as calças têm de assentar (recompõe o vinco)”.

Mais uma página e um sorriso trocista nos lábios:
“Aqui é como fazer fatos para curvados e empertigados”.

De Lisboa trouxe a lição toda, para todas as situações. Mas por ali, os pedidos mais frequentes são os fatos tipo terno, os trajes académicos e os trajes jurídicos, como as togas e as becas.

A quem procura um fato para ocasiões especiais é o fato inglês que recomenda, sem qualquer hesitação. “É o melhor tecido que há.” E como que para o provar, vai buscar um rolo de tecido e desdobra-o para nos mostrar a inscrição marcada ao longo de toda a orla, na língua original: “Superfine Suiting with Kid Mohair Made in England”.

“Daqui não sai nenhum fato inglês por menos de 400,00€. Mas olhe que não é muito! Nas grandes lojas estão à venda por 2.000,00€”.

Trinta horas é o tempo normal de execução de um fato por medida, ainda que já o tenha feito em 24 horas, sem pausas nem interrupções.

Para quem procura capas, togas e becas, as opções são várias. Modelos para Homem e Senhora, uns mais simples, outros mais elaborados, em tecido brilhante ou fosco, com pregas ou favos de diferentes formas e feitios. Traz o manequim para fora do atelier nos mostrar, à luz do dia, que é nos detalhes que residem as diferenças substantivas.

Convencidos que estamos de que encontramos obreiro para o nosso chapéu, a esta porta voltaremos dentro de sete dias.


Manuel Campos - Alfaiate

Esquema de corte da dianteira de umas calças de Senhor

 Esquema de corte de um fato para gente "curvada e empertigada"

 

Tecido inglês

 Alinhamento do tecido de xadrez nos punhos do blazer

Manuel Campos compõe uma beca no manequim

Favos aplicados nas costas de uma toga

 Favos (pormenor)

 Pregas numa toga (pormenor)

Pregas numa toga (pormenor)